Realizado por alunos e professores da escola Saad, evento multicultural é gratuito e aberto ao público

Com o tema “Elogio a Loucura”, inspirado no livro do humanista e teólogo Erasmo de Rotterdam, acontece amanhã (10) a terceira edição do Simpósio Saad.

Realizado por  alunos e professores da instituição de ensino, o evento cultural pretende “levar à reflexão sobre as várias facetas da loucura, seja ela social ou patológica”, conta Carolina Lobo, professora organizadora do Simpósio junto com Beth Costa.

Para fazer o público refletir sobre o tema serão realizados 4 bate-papos, que terá entre um dos convidados, às 14h, o escritor Ignácio de Loyola Brandão, um dos nomes mais importantes da literatura contemporânea.

“Os palestrantes são das diversas áreas do conhecimento. Mariah Casséte é socióloga, Elizete Gomes é artista e professora, teremos uma mesa redonda surpresa com dois convidados da área de psicologia e a cereja do bolo, Ignácio de Loyola Brandão, que, para nós, é um dos maiores escritores do Brasil e tem uma perspectiva muito crítica da realidade que nos cerca. Perspectiva necessária ao momento em que vivemos”, explica Carolina.

Escritor Ignácio de Loyola Brandão, um dos palestrantes do evento.

Com uma programação multicultural, que reune ainda apresentações artísticas, oficinas e uma feira, além de food trucks, o Simpósio tem como um dos destaques uma instalação artística, que homenageia a psiquiatra Nise da Silveira, que revolucionou o tratamento da loucura ao usar a arte para reabilitar seus pacientes, montada no casarão do século 18 da Fazenda Itaim.

“A instalação artística é, sem dúvidas, o ponto mais impactante do evento. O casarão do XVIII possui 28 cômodos, nós usaremos 9, nos quais reproduziremos cenas vividas por pacientes psiquiátricos, como Stela do Patrocínio e Estamira; além de levarmos os visitantes (acompanhados pelos alunos-atores) a uma viagem ao inconsciente de diversas pessoas e personagens, muitas vezes, consideradas loucas por romperem com o status quo, tais como: Frida Kahlo, Van Gogh, Dom Quixote, Salvador Dalí, Nise da Silveira, entre outros”, ressalta Carolina Lobo.

Casarão da Fazenda Itaim, local onde será montada instalação artística.

Gratuito e aberto ao público, por a organização acreditar que “a cultura e arte devem ser tiradas do pedestal”, o evento acontece das 8h às 20h na Fazenda do Itaim, na Estrada dos Remédios, 500, próximo ao Hotel Mazzaropi.

“A mensagem (que queremos passar para o público é): seja mais humano. Aceite as diferenças, coopere, compartilhe, abrace, sinta! Loucura é não sentir. Loucura é estar perfeitamente adaptado a uma sociedade robotizada e doente”, reforça Carolina.

Confira a programação completa do evento:

 

Curta o Almanaque Urupês no FacebookYoutubeInstagram Twitter para acompanhar o nosso trabalho.